Ortodontia

A ortodontia é a especialidade da odontologia que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada.
Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de serem mantidos limpos, podendo-se perdê-los precocemente devido à deterioração e a doenças periodontais (em torno do dente).
Também causam um estresse adicional aos músculos da mastigação, o que pode levar a dores de cabeça, síndromes da ATM (DTM – disfunção da articulação temporo-mandibular) e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas. 

A ortodontia é dividida basicamente em duas áreas:

1 - Ortodontia Preventiva
Na ortodontia preventiva fazemos os procedimentos necessários para prevenir a instalação de uma má oclusão, ou seja, são os procedimentos feitos em idade precoce (a partir dos 4 anos) podendo ser feitos na dentição decídua ou mista (com decíduos e permanentes).

Dentro dos procedimentos preventivos podemos destacar:

• Disjunção palatina: expansão da arcada superior (palato) usada principalmente para crianças com problemas respiratórios com falta de espaço para a troca dos dentes permanentes com ou sem mordida cruzada. Crianças com problemas respiratórios tendem a ficar com a arcada superior estreita o que pode originar a mordida cruzada que é a inversão de encaixe dos dentes superiores e inferiores.
A respiração e a alimentação de uma criança são dois fatores que podem influenciar muito no desenvolvimento dos maxilares e dos dentes. A respiração correta deve ser feita pelo nariz. Quando há algum problema que pode ser obstrutivo (pólipo, cornetos com espessamento), alérgico (rinite alérgica) ou de crescimento (desvio de septo, cavidade nasal estreita) a criança necessitará respirar pela boca também (respiração mista), que pode agravar mais ainda o problema respiratório, tanto pela diminuição do uso da cavidade nasal como pela passagem do ar para os pulmões sem a adequada filtragem e aquecimento. Em geral, o problema respiratório pode causar um menor desenvolvimento do maxilar superior (atresia) o que pode ser corrigido com a disjunção palatina. 

• Ortopedia funcional – na ortopedia utilizamos aparelhos móveis ou resinas coladas diretamente nos dentes para alterar o posicionamento dos maxilares que estão de forma inadequada.

2 - Ortodontia Interceptativa
Na ortodontia interceptativa vamos corrigir uma situação anormal já existente, de modo a restabelecer a posição correta dos dentes do paciente. Nela, basicamente, vamos usar os aparelhos fixos com braquetes que podem ser:

 

•  Metálicos – são utilizados braquetes de metal para correção dos dentes.

• Estéticos – são utilizados braquetes de porcelana na correção dos dentes.


•  Alinhadores invisíveis – são utilizadas placas transparentes para a correção dos dentes, sem braquetes.

 

Dentro da ortodontia interceptativa, trabalhamos com quatro técnicas:  

• Terapia bioprogressiva de Ricketts
Criada nos EUA pelo Dr. Robert M. Ricketts, é considerada umas das técnicas mais biocompatíveis e que menos extrai dentes, permitindo o início do tratamento antes de terminar a troca dos dentes decíduos (de leite) pelos permanentes (dentição mista).
Em crianças, as primeiras avaliações podem ser feitas a partir dos 4 anos, principalmente se a criança apresentar problemas respiratórios. 

•  MEAW (Multiloop Edgewise Arch Wire)
Criada na década de 70 pelo Dr. Young H. Kim para a correção de mordidas abertas anteriores (dentes da frente não tocam). Grande parte dos pacientes adultos com mordida aberta anterior era indicada para correção cirúrgica dos maxilares (cirurgia ortognática), sendo que com esta técnica conseguimos fazer compensações satisfatórias na correção da mordida a ponto de tirar o paciente da cirurgia ortognática.

• GEAW (Gummetal Edgewise Arch Wire)
Criada nos anos 90 pelo Dr. Sadao Sato tem os mesmos fundamentos da MEAW, com a diferença de que utilizamos um fio (arco) especial desenvolvido pela Toyota e Morita Corporation chamado Gummetal. Este proporciona efeitos suaves e contínuos nos tratamentos, diminuindo a pressão dos arcos e facilitando a higiene dos pacientes.

• Alinhadores invisíveis (Orthoaligner)


Os alinhadores invisíveis são placas transparentes termo plásticas feitas de EVA (Acetato de vinilo-etileno) que recobrindo os dentes fazem a movimentação ortodôntica. Quando indicados, fazem a movimentação dos dentes com mais eficiência e mais rápido que os aparelhos com braquetes. O tempo de tratamento varia de acordo com o número de placas para fazer as correções, ou seja, quanto mais tortos os dentes, mais placas serão necessárias e maior vai ser o tempo de tratamento. As placas devem ser retiradas durante as refeições ou quando tomar algum líquido quente para que não deformem.


Disfunção da Articulação Temporomandibular - DTM
A DTM ou síndrome da ATM (Articulação Temporomandibular) acomete pessoas que são ou estão com ansiedade e∕ou estresse aumentados. Em geral, o mal posicionamento dos dentes não causa a DTM, mas pode agravá-la. Os principais sintomas da DTM são dores de cabeça, dores na articulação (semelhante a dor de ouvido), barulhos na articulação ao mastigar ou falar e dores no pescoço, ombro e costas. As pessoas com DTM muitas vezes fazem também apertamento noturno ou bruxismo (ranger de dentes) quando dormem, o que também potencializa o problema.
O tratamento da DTM pode ser feito com exercícios específicos, acupuntura, fisioterapia, termoterapia e ortodontia. Em casos mais graves pode ser necessário o uso de medicamentos como analgésicos, anti-inflamatórios e relaxantes musculares.
Na ortodontia usamos as Placas Miorrelaxantes para melhorar os sintomas da DTM após o tratamento ortodôntico quando necessário.

Síndrome da Apnéia e Hipoapnéia Obstrutiva do Sono - SAHOS

A apneia obstrutiva do sono é um mal que afeta grande parte da população, que além de poder levar o indivíduo a óbito por asfixia, pode causar diversos problemas secundários de grande gravidade como hipertensão arterial, arteriosclerose, problemas renais, isquemia do miocárdio, hipertrofia ventricular, arritmias cardíacas e aumento da probabilidade de AVC.
O tratamento da SAHOS é normalmente multidisciplinar (envolve vários profissionais da saúde), mas alguns dos fatores que o agravam, como sobrepeso, sedentarismo, tabagismo e uso de bebidas alcoólicas, dependem do envolvimento do paciente. A SAHOS pode ser tratada com cirurgias, sendo que pode haver recidiva principalmente nas que são feitas em tecidos moles (palato, língua, úvula). 

O exame mais indicado para verificar o grau de severidade da SAHOS é a polissonografia.
O CPAP (Continuous Positive Airway Pressure – pressão positiva contínua nas vias aéreas) é o tratamento mais utilizado para a SAHOS sendo considerado também o mais eficaz.

A outra forma de tratamento é o uso da placa de ronco e apneia, a qual pode ser confeccionada em nossa clínica.